Esporte

12/12/2015 08:14 - Atualizado em 27/11/2016 08:28

Mergulho: Desbrave as profundezas do oceano

A prática pode ser profissional, esportiva ou recreativa, proporcionando diversos benefícios.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Seja no mar, no rio ou no lago, o mergulho consiste na exploração subaquática com o uso ou não de equipamentos específicos. A atividade está divida em diferentes tipos, que permitem a prática profissional, esportiva ou turística. Essa última é uma das mais crescentes, devido à experiência única de conhecer o lugar de uma outra forma.

Tipos de mergulho

Existem três tipos de mergulho: o livre, o autônomo e o dependente (umbilical). Na modalidade livre, também conhecida como apneia, o mergulhador não usa equipamentos para respiração subaquática, dependendo exclusivamente de sua capacidade pulmonar, preparação física e controle emocional.

O mergulho livre ainda possui subcategorias, como o contemplativo; o lastro constante, em que o mergulhador desce a uma determinada profundidade usando um cinto de lastro sem cabo-guia; a imersão livre, usando apenas um cabo para descer a maior profundidade possível; e a apneia estática com oxigênio, modalidade competitiva em que o competidor respira oxigênio puro antes.

Em 2009, a mergulhadora brasileira Karoline Mariechen Meyer, praticante da apneia estática com oxigênio, tornou-se o ser humano com o maior tempo sob a água no mundo. Karoline, que já havia batido quatro recordes mundiais, chegou à marca de 18 minutos e 32 segundos na modalidade.

Já no mergulho autônomo, o praticante conta com o auxílio de equipamentos que ele carrega e que lhe permitem respirar debaixo d'água. Essa modalidade é muito utilizada para o turismo, em que as pessoas não possuem experiência com a prática. Também é utilizada para a exploração de cavernas, com profundidade limite de aproximadamente 40 metros.

Saiba Mais
Surfe promove integração total com a natureza
Descubra onde praticar esportes radicais no Brasil
Rapel: Saiba como praticar esse esporte de aventura

No mergulho dependente, o suprimento de ar não é levado pelo próprio mergulhador, com a alimentação feita a partir da superfície por intermédio de um compressor de ar e de uma mangueira. Com isso, a pessoa consegue ficar mais tempo embaixo d'água com o auxílio do equipamento de respiração.

Ele não é praticado por amadores ou esportistas, pois exige muita técnica e disciplina. São necessárias diversas paradas para descompressão. Com isso, é o mais utilizado por profissionais, como mergulhadores de plataformas de petróleo e de construção civil, que precisam trabalhar mais tempo debaixo d'água.

Para outros tipos, que estão fora das categorias recreacional ou esportiva, são usadas misturas de gases, como o "trimix", em que se aumentam as porcentagens do gás hélio, diminuindo a de nitrogênio e/ou oxigênio.Esses mergulhos mais profundos demandam cursos especiais, pois são extremamente arriscados e não são autorizados para praticantes recreacionais.

O recorde de profundidade em mergulho autônomo é de 318,25 metros, conquistado pelo mergulhador técnico Sul-Africano Nuno Gomes, submetendo-se a uma pressão de quase 33 atmosferas.

Benefícios e cuidados com a prática

Os cuidados mais importantes para a prática são a utilização dos equipamentos corretamente e o acompanhamento de um mergulhador profissional, que dará todo o apoio para que a atividade seja feita da forma adequada e com segurança.

Entre os benefícios, além da experiência incrível de ver as belezas das profundezas do mar, o contato com a natureza proporciona relaxamento e bem-estar, tornando qualquer viagem ainda melhor.

Que tal experimentar? Deixe seu comentário! E aproveite para conferir outras dicas de atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
natureza
aventura
turismo
mar

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ