Esporte

12/09/2015 08:29 - Atualizado em 28/11/2016 03:45

Highline: Conheça o slackline das alturas

A modalidade exige ainda mais equilíbrio e força do praticante.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma das quatro modalidades de slackline, o highline fornece uma dose extra de adrenalina ao praticante do esporte: as grandes alturas. O atleta precisa se equilibrar em uma linha ancorada a pedras, árvores e prédios, com uma distância de pelo menos dez metros do chão.

Esse esporte possui uma exigência de segurança maior, em relação às outras variações do slack. Além disso, a altura da fita requer o uso de equipamentos de segurança, assim como noções de escalada. Confira mais sobre a prática e veja como começar.

homem praticando highline em rochedo

Origens do highline

Para entender como o highline surgiu, é preciso entender primeiro a história do próprio slackline. O esporte surgiu nos anos 1970, no parque de Yosemite, nos Estados Unidos.

Os praticantes nem sempre se deparavam com um clima bom para posicionar a corda entre as árvores. Assim, eles começaram a fixar o equipamento em lugares cada vez mais altos. Também houve certa influência de artistas de corda bamba, muitos deles famosos por cruzar cânions e topos de prédios em cabos de aço.

No highline, além do preparo físico e da concentração, o controle mental é muito importante  para que o praticante mantenha o equilíbrio e saiba lidar com o medo, a ansiedade e até mesmo a adrenalina nas alturas.

Saiba Mais
Escalada é alternativa de esporte radical para idosos
Corrida de montanha exige preparo físico
Equilíbrio e concentração são características do salto ornamental

Um dos pontos cruciais da prática é a montagem da estrutura. Cuidado e conhecimento são necessários, uma vez que, sem os equipamentos de segurança corretamente instalados, existe o risco de ferimentos e quedas que podem levar à morte.

Um profissional capacitado e com experiência em escalada ajuda a garantir a segurança em caso de algum imprevisto.

Como e onde praticar o highline

Por ser um esporte praticado nas alturas, o highline pede exige que o atleta lide com mudanças e imprevistos. Cada travessia é única e fatores como condições climáticas, posicionamento da fita e distância entre as duas pontas variam. Além disso, devem ser usadas técnicas e até alguns movimentos que não são utilizados no slackline.

É normal que hajam quedas, mas, como o atleta fica preso aos equipamentos de segurança, o movimento indicado nesse caso é tentar se segurar também na fita. A queda brusca pode danificá-la, pois há uma grande força exercida sobre o equipamento.

Para inciantes, a prática é indicada com fitas mais próximas do chão. O próprio slackline tradicional já é uma maneira de treinar o equilíbrio. E vale reforçar: apesar de todo o cuidado técnico, é sempre importante ter o acompanhamento de profissionais e de outros atletas na hora de se aventurar.

O Brasil possui diversos lugares para praticar o highline, principalmente nas regiões próximas ao litoral, onde o relevo é mais acentuado. Além disso, áreas serranas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste também oferecem condições para a prática do esporte.

Você se arriscaria nesse esporte de aventura? Conte para nós! E aproveite para conferir outras dicas de atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
slackline
corda bamba
equilíbrio
esporte de aventura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ