Esporte

24/07/2015 08:21 - Atualizado em 03/01/2017 02:00

Espirobol: Um esporte com cara de brincadeira

Praticada em ruas, escolas e condomínios, modalidade é apelidada de “pipocão”.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Para alguns, um esporte. Para a maioria, uma brincadeira. O certo é que o espirobol é uma diversão garantida para todas as idades. Também conhecida por espiribol e apelidada de “pipocão” em algumas regiões do país, a modalidade é praticada em ruas, escolas, clubes, condomínios, campings, praias e parques.

Muitas vezes é de forma informal, sem árbitros ou torcida. Porém, também há competições, principalmente no exterior, que reúnem atletas considerados profissionais e movem uma legião de fãs e praticantes. O jogo é disputado por duas ou quatro pessoas, que se enfrentam em duplas.

Com uma bola presa a uma corda, cuja ponta está amarrada a um poste fixo na área central de um círculo, a ideia é enrolá-la completamente. Ganha a partida quem alcançar primeiro o objetivo, ou seja, enrolar a corda antes do adversário.

A movimentação é feita por meio de socos ou tapas desferidos exclusivamente na bola com apenas uma das mãos em cada jogada. Os golpes devem ser sempre realizados no sentido escolhido - horário ou anti-horário - por cada jogador ou equipe.

espirobol

Cabeças decepadas

Há diferentes versões sobre a origem do espirobol. Uma delas é a de que tenha nascido ainda no século 9, entre povos tártaros. Em países como Cazaquistão, Rússia, Ucrânia e Uzbequistão, amarrava-se a cabeça decepada de um inimigo em uma corda a um mastro. Depois, a cabeça era golpeada com pedaços de pau. 

O espirobol dos dias de hoje se aproxima mais da origem creditada à Espanha. Na década de 1920, o militar Dom Baltazar Fabregas teria inventado a modalidade na cidade de Lanrajón, localizada na província de Granada.

No Brasil, o esporte alcançou o auge nos anos 1980 e 1990. Em muitas escolas do país, o espirobol integrou a grade curricular nas aulas de Educação Física e foi utilizado como atividade de recreação nos intervalos. Bastante difundido no interior, hoje faz parte de competições e olimpíadas rurais ao lado de modalidades como bocha, vaca parada, cabo de guerra, queimada e jogos de baralho.

Espirobol e a bola de vôlei

Para entender melhor as regras do espirobol é preciso falar sobre os equipamentos e a área de disputa. Não são necessários grandes investimentos para adquirir o material necessário. 

O poste é a base do jogo. Deve ter 4,5 metros de altura e estar bem preso ao solo. Pode ser feito de vários materiais: aço, ferro, cimento, bambu ou madeira. Tubos de aço de três polegadas, apropriados para a modalidade, são comercializados por valores que variam de R$ 500 a R$ 800. 

Uma corda de náilon medindo 3,5 metros é amarrada no ponto mais alto do poste. A bola fica na extremidade pendente, envolta em uma espécie de rede.

Para garantir a brincadeira, até uma bola de vôlei pode ser usada. Porém, a considerada oficial é fabricada em couro ou em vinil, com uma câmara de ar interna, e com formato piriforme, semelhante a um desenho de uma pera ou de uma gota d'água. A corda é presa na parte pontiaguda. Uma bola oficial nacional custa em torno de R$ 70 reais e uma importada, R$ 100.

Que tal praticar o espirobol com seus amigos? Mantenha-se em movimento com saúde! Não deixe de nos contar o que você achou do artigo e aproveite para acompanhar outras dicas de esporte aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
jogo com bola
pipocão
regras do espirobol
espiribol

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ