Esporte

26/06/2014 09:00 - Atualizado em 02/12/2016 11:26

Brincadeiras de roda ainda podem fazer a alegria da criançada

Brincadeiras de roda têm diversas vantagens em relação aos jogos eletrônicos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Lembra das brincadeiras de roda no seu tempo de criança? Essa é uma tradição que começa a se perder com a preferência das crianças de hoje pelo videogame, televisão e computador. Mas ainda há esperança: que tal incentivar seus filhos a se divertirem com os amigos ao ar livre?

Brincadeiras de roda ou videogames? 

Mesmo que as tecnologias modernas também tenham o seu lado bom, elas não suprem alguns aspectos trabalhados em brincadeiras de roda. As crianças aprendem, com esse tipo de atividade, a sociabilizar com outros colegas, a descobrir como é bom cantar e a mexer o corpo de acordo com o ritmo da brincadeira. Tudo ao ar livre, com movimentação física e contato pessoal.

Nas cirandas, outro nome dado para as brincadeiras de roda, os participantes fazem um círculo de mãos dadas e cantam uma cantiga enquanto giram a roda. Cada canção tem a sua particularidade e às vezes um participante vai para o meio da roda. É uma bonita maneira de enfrentar a timidez que muitas crianças pequenas têm. As cantigas têm caráter universal, mas acredita-se que a influência da cultura africana que fez com que se disseminassem no Brasil.

Brincadeiras de roda para os seus filhos

Para que a atividade seja ainda mais bacana, são necessários pelo menos seis participantes. Na verdade, quanto maior o número de amigos na roda, mais divertido é o momento. Então, que tal relembrar algumas brincadeiras de roda e ensiná-las para seus filhos?

Ciranda cirandinha

Na mais clássica das brincadeiras de roda, as crianças giram cantando a cantiga e, no verso “Por isso, Dona Ana”, substituem o nome por de um colega que está na roda. A criança escolhida entra no meio da roda e recita um verso após terminada a canção.

Música:

Ciranda, cirandinha,
Vamos todos cirandar.
Vamos dar a meia-volta,
Volta e meia v amos dar

O anel que tu me deste
Era vidro e se quebrou.
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou

Por isso, dona Ana,
Entre dentro dessa roda,
Diga um verso bem bonito,
Diga adeus e vá-se embora.

A canoa virou

As crianças giram a roda cantando até que chega o verso “Foi por causa do Pedrinho que não soube remar”. Aí, trocam o nome de Pedrinho por de um colega, que fica de costas, permanecendo na roda. Assim a brincadeira segue, até que todos estão de costas, e termina quando todos estão novamente de frente para o centro da roda.

Música:

A canoa virou.
Por deixá-la virar,
foi por causa do Pedrinho
Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho
e soubesse nadar,
tirava o Pedrinho
do fundo do mar.

A carrocinha

Aí são feitas duas rodas, uma grande e outra pequena, dentro da maior; mas as duas com o mesmo número de participantes. Elas giram em sentido oposto e quando a música chega em “Que gente é essa”, cada um da roda menor escolhe um colega da maior e os dois, de braços dados, rodopiam, trocando de roda.

Música:

A carrocinha pegou
Três cachorros de uma vez.
2x
Tralalá,
Que gente é esta.
Tralalá,
Que gente má!

Caranguejo

As crianças cantam e giram. Quando chegam no verso “Ora, palma, palma, palma”, todos batem as mãos, e em “Ora, pé, pé, pé”, batem os pés no chão. Quando cantam “Ora, roda, roda, roda”, todos giram de mãos dadas até o fim da música. No último verso, “Caranguejo peixe é”, elas se agacham.

Música:

Caranguejo não é peixe, 
Caranguejo peixe é. 
Caranguejo só é peixe 
Na enchente da maré. 

Ora, palma, palma, palma! 
Ora, pé, pé, pé! 
Ora, roda, roda, roda, 
Caranguejo peixe é! 

E você? Quando era criança qual outra brincadeira você fazia com seus amigos? Você tem outras idéias de brincadeiras de roda? Conte-nos!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ