Sem Lactose

13/02/2015 03:43 - Atualizado em 05/11/2016 11:07

Quem tem alergia a lactose pode levar uma vida normal

Em casos graves, a alergia a lactose pode causar dificuldades para respirar e edema de glote.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A alergia a lactose acontece quando o organismo identifica substâncias do leite como agressoras. A partir desse momento, sintomas como manchas na pele, dificuldades para respirar, dores de barriga e gases podem ser observados. Confira dicas de como melhorá-los e saiba as diferenças entre a intolerância e alergia.

alergia a lactose

Diferenças entre intolerância e alergia a lactose

Quando a produção de lactase - enzima que digere a lactose - é pequena ou inexistente, pode-se dizer que o indivíduo é intolerante. Nesse caso, o acometido acaba tendo a fermentação das bactérias no intestino, o que pode trazer consequências desagradáveis, como diarreia, gases, cólicas e inchaço abdominal.

Para controlar a intolerância, recomendam-se mudanças na dieta, como evitar derivados do leite. Também é possível ingerir cápsulas de lactase, encontradas em farmácias.

A alergia a lactose acontece quando o sistema imunológico, em vez de aceitar a substância, identifica-a como agressora, causando diarreia, gases, cólicas, inchaço na barriga, marcas na pele, problemas para respirar, hemorragia intestinal e outros sintomas. Esse tipo de doença é mais visto em crianças menores de seis meses e pode desaparecer com o tempo.

Assim que você começar a identificar os sintomas em seu pequeno, leve-o ao médico. Exames analisam qual é a quantidade correta da substância que o pequeno pode consumir diariamente. No caso de alergia a lactose, a ingestão de leite deve ser proibida, para não causar consequências graves, como o edema de glote.

O diagnóstico da alergia a lactose é feito por meio da reação do paciente à retirada de todos os ingredientes que contenham lactose. Se ele ficar bem, sem sintomas, a alergia é confirmada e a vida sem lactose é necessária.

Para não sofrer, algumas receitas podem ser preparadas. Jé em restaurantes, é importante perguntar se foram adicionados derivados do leite no preparo da comida.

No caso dos bebês que estejam sendo amamentados, a mamãe deve ir ao nutricionista e pedir uma dieta inteiramente livre de lactose. Para os maiorzinhos, o leite sem lactose é indicado.

É estimado que metade das crianças com alergia a lactose melhorem com um ano de idade. Até os três anos, 90% dos pequenos estão curados. Existem poucos casos de indivíduos que continuam com a alergia durante toda a vida.

Dicas para viver com alergia a lactose

Sempre que estiver em dúvida, verifique o rótulo dos alimentos. Lá estão contidas todas as informações importantes. Alguns sites de associações de intolerantes contêm listas de produtos com e sem lactose. Mesmo que não haja leite na composição, a substância pode estar presente.

Consultar um nutricionista é a melhor forma de garantir uma dieta saudável e livre de lactose. Para os pequenos não sofrerem, é importante pedir dicas de receitas saudáveis e saborosas.

Gostou das dicas de alimentação? Deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligada em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
restrição alimentar
alergia
leite
lactose

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ