É Bom Pra Quê?

03/04/2016 05:00 - Atualizado em 30/11/2016 05:13

Saiba quando bebida alcoólica pode fazer bem para a saúde

Vinho pode trazer benefícios para o coração, quando consumido moderadamente.

POR

Redação

  • +A
  • -A

É consenso que a bebida alcoólica faz mal para a saúde. Se possível, o ideal é evitar o consumo, pois os etílicos não fazem falta nenhuma ao organismo humano. No entanto, se for para degustação, beber pode trazer alguns benefícios inclusive para o sistema cardiovascular.

Um estudo na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, comprovou que o álcool consumido moderadamente pode melhorar em até 35% as chances de as mulheres sobreviverem a um ataque cardíaco. E os benefícios não param por aí. Saiba quando a bebida alcoólica faz bem e quando é melhor evitá-la.

bebida alcoólica: brinde com duas cervejas

Bebida alcoólica ajuda a envelhecer bem

Com a idade, aumentam as responsabilidades e, no caso dos homens, isso parece desestimular o consumo de álcool. De acordo com um estudo da Universidade Estadual de Oregon, nos Estados Unidos, rapazes que se tornam pais de primeira viagem se afastam das bebidas e do tabaco. A pesquisa, feita ao longo de 19 anos, estudou cerca de 200 meninos e homens entre 12 e 31 anos.

Aliás, o próprio corpo humano, seja de homem ou mulher, precisa de um descanso da bebida alcoólica. Segundo pesquisadores da Royal College of Physicians, na Inglaterra, para se recuperar dos malefícios do álcool, é necessário ficar três dias sem ingeri-lo. Com essa distância, o risco de doenças no fígado é reduzido.

Para as mulheres, os efeitos de beber álcool moderadamente podem ajudar a envelhecer de forma saudável. Na Universidade de Harvard, outra pesquisa descobriu que aquelas que bebem uma taça de vinho pequena por dia podem ter menos riscos de desenvolver diabetes, doenças cardíacas e câncer, chegando à velhice com saúde.

Consumo de álcool estimula imprudências

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo de bebida alcoólica é recomendado de forma diferente para homens e mulheres, em função de suas condições biológicas e orgânicas. Para elas, durante a semana, indica-se consumir até 14 doses de álcool. Eles podem ingerir no máximo 21 doses. Cada dose tem, em média, 30 gramas.

Em locais de música alta, o álcool pode circular com mais facilidade. Segundo pesquisa da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra, a bebida parece mais “doce e degustável” na balada ou em ambientes musicais. A prudência parece ser deixada de lado, nessas situações, favorecendo o sexo desprotegido e atitudes agressivas.

Mulheres que possuam alguma predisposição ao câncer de mama ou já tenham histórico da doença precisam evitar bebida alcoólica a qualquer custo. Isto porque, segundo a Faculdade de Medicina de Harvard, os casos de câncer de mama são duplicados quando a paciente costuma ingerir álcool. Os fatores genéticos também devem ser analisados.

Segundo um estudo do Instituto de Pesquisas Biomédicas do Texas, nos Estados Unidos, os alcoolistas podem estar predispostos a esse problema. O gene HTR7, que recebe a serotonina - neurotransmissor relacionado ao humor e à sensação de bem-estar - pode ser um dos causadores do alcoolismo de forma hereditária.

Os pesquisadores analisaram padrões genéticos de dependentes que também foram passados para seus filhos. Ou seja, geração após geração, o alcoolismo pode estar presente em famílias específicas, em função desse gene.

Você acredita que consegue se controlar no consumo do álcool? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde e alimentação aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
álcool
saúde
coração
alcoolismo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ