É Bom Pra Quê?

20/07/2014 06:00 - Atualizado em 09/12/2016 02:13

Ginseng pode combater a fadiga e melhorar a memória

Consumido com moderação, ginseng oferece diversos benefícios à saúde.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O ginseng é uma planta medicinal de origem chinesa, cujas propriedades são usadas para tratar tanto o corpo quanto a mente, devido a sua ação estimulante, revitalizante, febrífuga, tônica, reguladora, analgésica e afrodisíaca. Consumido com moderação, oferece muitos benefícios à saúde, como o aumento da capacidade de concentração.

Benefícios do ginseng

Diante de tantas funções, o ginseng soa como uma erva milagrosa. Mas, assim como qualquer novidade que você agrega a sua alimentação, deve ser consumido com cautela. De preferência, consulte um nutricionista para saber a melhor maneira de incluí-lo no seu cardápio. Ele é encontrado facilmente em duas versões: em pó e em cápsula.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Alguns dos problemas que o ginseng pode ajudar a combater são a fadiga, falta de concentração, debilidade, estresse, bradicardia, impotência, astenias físicas e psíquica, problemas de fertilidade masculina, arteriosclerose e depressão. Ele melhora a qualidade de vida do indivíduo e proporciona uma vida mais longeva se incluído na alimentação de maneira responsável. 

Outros benefícios são melhorar a circulação sanguínea, prevenir o câncer, incrementar a memória, diminuição do cortisol em pacientes com diabetes e redução da pressão arterial. Essas vantagens podem variar dependendo do tipo. Há a versão coreana, chinesa e americana, por exemplo.

Emagrece?

O ginseng é rico em substâncias conhecidas como ginsenosídeos, que atuam dificultando a conclusão do processo das células de gordura. Dessa maneira, elas têm mais dificuldades para se acumular no corpo da pessoa.

Claro que apenas o consumo dificilmente fará alguém emagrecer caso não haja uma mudança de hábitos alimentares e físicos. As suas propriedades são um tratamento complementar. De nada adiantará consumi-lo se você mantiver um cardápio cheio de alimentos gordurosos.

É bom atentar, novamente, para a orientação de um nutricionista. Um cardápio cuidadosamente preparado certamente vai facilitar a ação do ginseng e, além disso, existem combinações com determinados alimentos que podem causar insônia e ansiedade.

Contraindicações do ginseng

A orientação especializada não deve ser procurada apenas para potencializar os efeitos positivos do ginseng, mas também para evitar os negativos. O seu consumo em excesso (acima de 10 gramas por dia) pode causar vômito, diarreia, hipertensão, erupções na pele, nervosismo, irritabilidade e prejuízos no sono. Portanto, suas doses devem ser controladas.

Há também um grupo de risco, composto por pessoas que devem evitar o consumo de ginseng. Estão inclusos gestantes, lactantes pessoas com esquizofrenia, portadores de lúpus, crianças, portadores de artrite, pacientes com pressão alta, indivíduos com infecções renais e doenças agudas. Se você não está no grupo de risco, consuma com moderação e você só terá a ganhar.

Como consumir

O melhor local para encontrar o ginseng, seja na sua forma em pó ou em cápsulas, é em lojas de produtos naturais. Geralmente o consumo em cápsulas é a melhor opção, por ser mais fácil o controle da quantidade adequada de consumo. O recomendável é o consumo de uma cápsula diária do produto.

Se você optou pela forma em pó, pode misturar uma colher de sopa do produto em cada refeição. Outra opção é tomar 3 xícaras de chá de ginseng por dia. Basta ferver água, adicionando 2,5 gramas de ginseng a cada 100 ml quando ela estiver borbulhando. Tampe a panela e deixe em fogo baixo por 10 a 20 minutos, coando depois e consumindo no mesmo dia.

E aí, gostuo do texto  ? Deixe seu comentário e compartilhe sua experiência!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ