Dietas

31/01/2015 12:18 - Atualizado em 28/12/2016 10:56

Veja 7 motivos para seguir a dieta do Mediterrâneo

Perca peso e tenha uma vida mais saudável com a dieta do Mediterrâneo. E o melhor: sem sacrifícios.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A dieta do Mediterrâneo, como o nome já diz, é baseada na alimentação dos países que formam a região do Mediterrâneo. O cardápio é caracterizado pelo consumo de frutas, hortaliças, cereais, leguminosas, oleaginosas, peixes, leite e derivados, vinho, azeite de oliva e uma variedade de ervas e especiarias.

O plano alimentar também indica o baixo consumo de carnes vermelhas e de gorduras de origem animal. Produtos industrializados, doces e outros alimentos ricos em gordura e açúcar devem ser evitados.

dieta do mediterraneo

7 motivos para seguir a dieta do Mediterrâneo

1. Não precisa contar calorias

Com a dieta do Mediterrâneo, não é preciso contar calorias ou excluir totalmente um grupo de alimentos. Esse plano tem como conceito a substituição das gorduras ruins por gorduras saudáveis. Exemplos: optar por azeite de oliva em vez de manteiga e peixe no lugar da carne vermelha.

2. Comidas frescas

Nessa dieta, as comidas congeladas, industrializadas e fast-foods não são permitidas. O foco está em alimentos frescos e sazonais, preparados de maneira simples. Prepare pratos de salada com vegetais variados e bem coloridos.

3. Gorduras saudáveis

As gorduras boas, que fazem bem para o coração, são a base da dieta do Mediterrâneo. Elas são encontradas em alimentos como nozes, azeitonas e azeite de oliva. Essas gorduras, ao contrário das saturadas e trans presentes nos alimentos processados, são mais saudáveis e ainda ajudam a combater doenças como diabetes e vários tipos de câncer.

4. Variedade no cardápio

Outra vantagem da dieta é que ela não se limita apenas a Grécia e Itália. A região mediterrânea também inclui França, Espanha, Turquia, Marrocos e outros países, expandindo as opções de alimentos. O básico é evitar a carne vermelha e os alimentos gordurosos, optando por frutas frescas, vegetais, azeite e grãos integrais.

5. Ervas e especiarias deliciosas

Esse plano alimentar indica o uso de ervas e especiarias do Mediterrâneo no lugar de sal e outros temperos com alto teor de sódio. Entre as opções estão folhas de louro, coentro, alecrim, alho, pimenta e canela, que acrescentam muito mais sabor aos alimentos.

Alguns desses temperos ainda trazem componentes benéficos à saúde, como antioxidantes e outros nutrientes que combatem doenças.

6. Não é preciso ficar com fome

A dieta do Mediterrâneo permite comer alimentos tão saborosos quanto batata-frita e doces - sem exageros, claro. A dica é ingeri-los lentamente e manter a sensação de saciedade por mais tempo. Quando a fome ou a compulsão por doces aparecer, opte por nozes, azeitonas ou queijos com baixo teor de gordura.

7. Perda de peso

Apesar dessa dieta permitir alimentos calóricos como nozes, queijos e óleos, ela oferece bons resultados de perda de peso. O ato de comer lentamente provoca mais saciedade. A atividade física regular para manter um peso saudável também é uma parte importante desse estilo de vida.

Dieta do Mediterrâneo: Converse com um profissional

Apesar dos benefícios, jamais comece uma nova dieta sem a orientação do nutricionista. É preciso avaliar quais são as necessidades nutricionais do seu corpo e de que maneira a alimentação vai colaboar para resultados efetivos.

Feito isso, que tal apostar na dieta do Mediterrâneo? Conte para nós o que você acha desse cardápio! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
dieta
alimentação saudável
estilo de vida
reeducação alimentar

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ