Dietas

09/05/2015 03:27 - Atualizado em 10/11/2016 06:02

Saiba diferenciar os tipos de alimentação vegetariana

Os veganos, por exemplo, evitam qualquer produto de origem animal, inclusive roupas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

alimentação vegetariana compõe o cardápio de quem, por diferentes motivos, não come carne. Seja por questão de saúde ou por filosofia de vida, o vegetarianismo tem adeptos no mundo todo.

Porém, nem todos os vegetarianos restringem o prato da mesma maneira. Há quem consuma leite, mas também quem evite qualquer produto de origem animal à mesa. Saiba reconhecer as variações e conheça benefícios da alimentação vegetariana.

alimentacao vegetariana

Tipos de alimentação vegetariana

A pessoa vegetariana corta de sua dieta todos os tipos de carne e seus subprodutos, como bacon, salsicha, presunto e outros embutidos. Geralmente, os grupos são subdivididos em duas categorias: os ovolactovegetarianos, que consomem ovos e laticínios, e os lactovegetarianos, que não comem ovo, mas mantêm os derivados do leite no cardápio.

Porém, há variantes mais radicais do vegetarianismo. Conheça algumas:

Veganos: cortam todos os produtos de origem animal da vida. A exclusão inclui laticínios, ovos, mel e gelatina, por exemplo. Roupas de couro, lã e seda, assim como óleos e secreções existentes em sabonetes, shampoos, cosméticos, detergentes e perfumes também são proibidos.

Os veganos evitam inclusive ir ao cinema, pois o rolo de filme é feito com componentes de origem animal.

A pessoa que opta por esse estilo de vida restritivo deve ter consciência de que sua rotina será mudada. Todos os produtos e roupas devem ser analisados anteriormente para evitar o consumo e o uso de componentes de procedência animal.

Crudívoros: a alimentação é apenas baseada no consumo de alimentos crus. Podem ser frutas, legumes e verduras.

Frugívoros: sustentam-se a partir de frutas. Podem ser chamados de frutívoros ou frutarianos.

Freeganos: ainda mais radicais que os veganos, os freeganos procuram uma alimentação que não incentive o sistema capitalista. Eles buscam alimentos descartados por lojas, restaurantes e mercados. Jardins, hortas caseiras e “transporte ecológico” - bicicletas, caronas e caminhadas - fazem parte do estilo de vida.

O que os pesquisadores dizem sobre a alimentação vegetariana?

Diversas pesquisas procuram entender quais são os impactos da redução do consumo de alimentos de origem animal na vida dos vegetarianos. Algumas delas trazem esperança e identificam pontos positivos no cardápio. Outras, no entanto, descobrem abalos na saúde e condição psicológica prejudicada.

Vida mais longa: segundo pesquisa da Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, divulgada no periódico Jama Internal Medicine, quem reduz total ou parcialmente o consumo de carne em sua vida têm 12% menos chances de morrer que os carnívoros. O estudo acompanhou mais de 73 mil pessoas durante um período de seis anos.

Coração saudável: um grupo de pesquisadores da Universidade de Oxford identificou que a alimentação vegetariana ajuda na redução do risco de doenças cardíacas em até 32%. Os carnívoros são inclinados a ter IMC (índice de massa corporal) mais alto e diabetes.

Depressão e ansiedade: na Áustria, cientistas da Universidade de Medicina de Graz apontaram os vegetarianos como sujeitos mais propensos a desenvolver doenças como câncer, alergias, depressão e ansiedade. Os resultados geraram polêmica no país e os pesquisadores foram acusados de ter relação com a indústria da carne.

Você apostaria numa alimentação vegetariana? Conte nos comentários! E não esqueça de acompanhar as novidades aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
veganismo
vegetarianismo
alimentação sem carne
alimentação viva

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ