Dietas

22/06/2015 10:15 - Atualizado em 06/12/2016 09:56

Proteínas em excesso sobrecarregam o organismo

Proteínas ajudam no desenvolvimento dos músculos, mas podem levar a problemas renais.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Está seguindo uma dieta para potencializar seu treino na academia e ganhar massa corporal? Cuidado com as proteínas em excesso. Apesar de serem importantes para o organismo e auxiliarem no fortalecimento dos músculos, elas também podem exigir demais do funcionamento dos rins e causar infecções urinárias.

Carne, leite e ovos são alguns dos alimentos mais ricos em proteínas. No entanto, a dieta para ganho de massa deve ser equilibrada para não desregular as funções orgânicas. Quer seguir uma alimentação que seja saudável e contribua para deixar você em boa forma física? Saiba como é possível.

Qual a função da proteína em nosso corpo?

Presentes em todas as estruturas do nosso corpo, as proteínas são essenciais ao organismo, pois constituem o citoplasma, o núcleo e as membranas das células. Elas são responsáveis por formar os tecidos, os dentes, os ossos e os músculos, estando também encarregadas da boa constituição sanguínea e de outros fluídos orgânicos.

proteinas em excesso

As proteínas não servem apenas para construir e desenvolver as estruturas do corpo, mas também ajudam a fortalecê-las e recuperá-las. Atuando na coagulação sanguínea, permitem a síntese necessária para curar lesões e machucados.

Esses compostos formam anticorpos e hormônios que catalisam reações químicas no organismo através das enzimas em que se encontram. Quando nos exercitamos, são as proteínas que regulam nosso metabolismo e a capacidade física durante as atividades.

Elas fornecem energia para o corpo quando os lipídeos e os carboidratos não são suficientes. No entanto, não se deve consumir proteínas em excesso. Os médicos recomendam que a ingestão desses compostos esteja entre as 1,2 e 2 gramas por quilograma do peso corporal ao dia.

Por que não consumir proteínas em excesso?

Mesmo sendo potentes ajudantes para desenvolvimento de massa magra e dos músculos, as proteínas em excesso devem ser evitadas. Se você tem 80 quilos, por exemplo, o máximo que deve consumir dessas substâncias é 160 gramas. Se passar disso, já comprometerá o bom funcionamento do organismo, principalmente do sistema renal e de filtragem de impurezas.

Além da alimentação, é recorrente o consumo de proteínas em excesso por meio da suplementação. Os shakes e compostos proteicos fabricados com base no soro do leite oferecem poucas gorduras e carboidratos, com alta concentração de proteína. Porém, não são todas as pessoas que podem ingerir esses produtos com eficácia garantida.

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), os suplementos apenas devem ser tomados com orientação e prescrição médica. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também deve ser consultada, já que muitos compostos suplementares não são autorizados pelo órgão.

Se ingerir proteínas em excesso, a pessoa pode manifestar uma hiperfiltração nos rins. Nos indivíduos com sobrecarga proteica, a função renal é comprometida em função do excesso de ureia, que não é excretada corretamente porque os órgãos trabalham demais. Em longo prazo, pode ocorrer quadros de diabetes, inflamação nos rins e hipertensão.

Entre aqueles que seguem à risca uma dieta proteica, é comum que deixem de lado outros grupos alimentares, como os dos cereais, das frutas e das raízes. Porém, sem o equilíbrio, aparecem outros problemas, como desmaios, irritabilidade, alterações no sono, fome e desequilíbrio hormonal, o que leva a mau humor e a falta de saciedade.

Gostou das dicas de alimentação? Conte para nós! E lembre-se que sempre tem novidade aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
problemas renas
leite
carne
dieta proteica

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ