Dietas

26/07/2015 10:18 - Atualizado em 28/11/2016 09:43

Entenda o papel das gorduras boas na sua dieta

Os lipídeos atuam na síntese de hormônios e no transporte de vitaminas. Veja infográfico.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A gordura é usualmente tomada como vilã da dieta e seu consumo costuma ser relacionado não só ao ganho de peso, mas também a diversos problemas de saúde, principalmente doenças cardiovasculares. No entanto, existem gorduras boas para o organismo.

São as gorduras insaturadas, encontradas em peixes oleosos - como salmão, atum e sardinhas -, além de óleos vegetais, nozes, castanhas e amêndoas. Aquelas que devem ser evitadas são as gorduras saturadas e as gorduras trans, que, em excesso, podem causar colesterol elevado e outros problemas de saúde.

gorduras boas

Lipídeos e nutrição

As gorduras saturadas são encontradas em alimentos presentes na dieta diária de boa parte da população, como carnes gordurosas, queijo e leite integral. As gorduras trans estão presentes em produtos de panificação e em alguns tipos de biscoitos recheados.

A nutricionista Priscila Janaina Canepelle Appelt explica que, na verdade, não existem gorduras boas ou ruins: todas têm uma função no nosso metabolismo. A questão é o excesso. Os lipídeos, ou seja, as gorduras, são nutrientes considerados essenciais para a nossa saúde, junto com carboidratos (açúcares), proteínas, vitaminas, sais minerais, fibras e água.

“Os lipídeos estão envolvidos tanto no abastecimento quanto no armazenamento de energia, são essenciais na síntese de hormônios e no transporte de vitaminas, fazem parte da composição da bile e da membrana celular, participam das funções imunológica e anti-inflamatória do organismo, além de aumentarem o poder de saciedade e também a palatabilidade dos alimentos”, enumera.

Quais são as gorduras boas?

Conforme a nutricionista, as gorduras são classificadas segundo o seu grau de saturação, medido pelo modo como se dá a formação de suas moléculas. Os ácidos graxos insaturados, que são popularmente chamados de gorduras boas, podem ser poli ou monoinsaturados.

Azeite de oliva, açaí, abacate e oleaginosas, como amendoim e castanhas, são fontes de ácidos graxos monoinsaturados e ajudam a diminuir o LDL (colesterol “ruim”) e o colesterol total. Peixes e óleos vegetais, como óleo de girassol, soja, milho ou canola, são fontes de ácidos graxos polinsaturados, consideradas gorduras boas para diminuir o LDL.

“Essas gorduras possuem efeito anti-inflamatório sobre as células vasculares, inibindo a expressão de proteínas pró-inflamatórias. São ácidos graxos essenciais que o organismo não produz, por isso precisam ser incorporados na dieta”, destaca Priscila.

E as gorduras ruins?

De acordo com a nutricionista, as gorduras boas devem continuar no cardápio mesmo numa dieta hipocalórica, porque uma alimentação saudável e balanceada deve conter 30% do teor calórico total da dieta em gorduras.

Já os níveis de gorduras saturadas devem ser reduzidos em qualquer caso, mas principalmente se houver problemas cardiovasculares associados, pois essas gorduras levam ao aumento do colesterol total e do LDL.

As gorduras trans são mais prejudiciais porque não só aumentam o colesterol “ruim”, como também diminuem o colesterol “bom” (HDL).

gorduras boas

Percebeu a diferença entre gorduras boas e ruins? Como você faz para controlar o consumo delas? Conte para nós! E aproveite para conferir mais dicas de alimentação aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
lipídeos
colesterol
óleos vegetais
gordura trans

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ