Dietas

27/05/2015 09:21 - Atualizado em 25/11/2016 02:16

Entenda como funciona a tabela nutricional dos alimentos

Veja o que cada componente significa e quais quantidades são recomendadas em uma dieta saudável.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você lê a tabela nutricional dos alimentos? Entende o que está escrito? Se a resposta é não, saiba que você não está sozinho. Ir ao nutricionista é essencial para uma alimentação saudável, mas nem sempre é possível tirar dúvidas que eventualmente apareçam em relação aos alimentos que consumimos. 

Geralmente, as pessoas prestam atenção somente na quantidade de calorias descrita na embalagem. Porém, não são apenas elas que ditam uma dieta balanceada. Outros componentes também determinam o resultado da saúde e do emagrecimento. Saiba mais sobre os componentes da tabela nutricional.

tabela nutricional

O que consta na tabela nutricional

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o órgão que controla os rótulos dos alimentos. Qualquer produto deve mostrar informações nutricionais como valor energético, quantidade de carboidratos e de sódio, por exemplo.

Pessoas com restrições alimentares, como intolerância à lactose e alergias a certos ingredientes, devem ficar ainda mais atentas à tabela nutricional. As embalagens costumam indicar se há presença de resquícios de leite ou de glúten, produto proibido para quem tem doença celíaca.

Decifre a tabela nutricional

Porção: Indica a quantidade média recomendada para manter uma alimentação saudável. Na maioria das vezes, os valores nutricionais não correspondem ao pacote inteiro, apenas a uma porção do alimento.

%VD: A sigla significa Valor Diário. Determina a quantidade de energia e de nutrientes que o alimento supre para um dia. Geralmente, usa-se a média de 2 mil calorias diárias para se estabelecer os valores necessários de cada componente.

Valor energético: São as famosas calorias que você sempre checa. Elas representam a energia que o corpo produz ao consumir o alimento.

Carboidratos: Eles atuam como fonte de energia para o corpo. A parcela não utilizada pelo organismo é estocada como gordura. Numa dieta de 2 mil calorias diárias, o consumo recomendado é de 300 gramas de carboidratos.

Proteínas: Em doses apropriadas, elas garantem a manutenção da saúde e também proporcionam a saciedade. O consumo médio fica em torno de 75 gramas diários.

Gorduras totais: Esses compostos ajudam no transporte de vitaminas. O consumo de gorduras deve ser moderado para não provocar aumento de peso. A quantidade necessária diariamente é de 55 gramas.

Gorduras saturadas: Essas são encontradas em produtos de origem animal. É o caso de carnes, queijos, leite integral, requeijão e manteiga. A ingestão excessiva aumenta o risco de doenças cardiovasculares. A necessidade média não passa de 22 gramas por dia.

Gorduras trans: Consideradas prejudiciais, elas têm caído em desuso na indústria. Estão presentes em produtos com gorduras vegetais hidrogenadas, como salgadinhos, biscoitos e sorvetes. A Anvisa recomenda um máximo de 2 gramas por dia.

Fibras alimentares: As fibras ajudam a controlar as taxas de glicemia e de colesterol, além de manter as funções intestinais e aumentar a saciedade. São encontradas em frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A quantidade diária recomendada é de 25 gramas, numa dieta de 2 mil calorias.

Sódio: Esse componente do sal de cozinha está presente na maioria dos produtos industrializados, inclusive alguns doces. Para evitar excessos, fique atento ao %VD de sódio. O recomendado é não ultrapassar 2,4 gramas.

Entendeu como funciona a tabela nutricional? Deixe seu comentário! E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável para conferir mais dicas de alimentação.

TAGS
nutrientes
valor calórico
rótulo
alimentação saudável

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ