Dietas

20/08/2014 01:58 - Atualizado em 30/11/2016 07:04

Dietas radicais oferecem riscos à saúde

Dietas radicais até podem afinar a cintura, mas não fazem bem para o organismo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Buscando o corpo ideal, a cintura perfeita ou simplesmente conseguir usar um determinado vestido para uma festa, milhares de mulheres se lançam em dietas radicais que prometem o emagrecimento instantâneo. Conseguem perder peso em dois ou três dias. O problema é que os quilos voltam em dobro, e o corpo fica fragilizado.

dietas-radicais

A maior parte das pessoas que procuram as tais fórmulas mágicas das dietas radicais corta por conta própria uma série de alimentos do cardápio diário e procuram academias de musculação em busca da queima de gordura imediata. Mas terminam os exercícios com um cansaço do qual não se recuperam durante dias, já que não estão ingerindo os alimentos adequados.

Segundo a nutricionista Renata Rodrigues Oliveira, as proteínas são os tijolos que constroem o nosso muro muscular, e esta construção se dá através das células de defesa do organismo que dependem de vitaminas e minerais. “Treinar em déficit desses nutrientes é o mesmo que pedir para um pedreiro, que trabalha com alto gasto energético, desempenhar sua função com qualidade estando em um longo período em jejum”, comenta.

Dietas radicais enfraquecem o sistema imunológico

A alimentação saudável é o fator principal para o fortalecimento do sistema imune, responsável pela recuperação do corpo após grandes desgastes. O problema das dietas radicais é que elas levam a uma grande perda de líquidos no corpo e não de gordura, além de que o sistema imunológico é privado de grande parte dos nutrientes essenciais para seu funcionamento.

As maiores armadilhas desse tipo de dieta são a redução extrema da quantidade de comida no prato e a eliminação de algumas refeições da rotina, deixando o estômago vazio por várias horas. Quando você reduz drasticamente a quantia do que come, o seu corpo entende que você está passando por uma situação de choque e estoca gordura para garantir que não ficará sem reservas de energia para funcionar.

Ossos também sofrem com dietas radicais

As perdas geradas ao corpo humano pelas dietas radicais podem prejudicar também os ossos. A falta de nutrientes deixa os ossos mais suscetíveis a quebra. Dependendo do nível de carência de determinadas substâncias, os ossos que sustentam os dentes podem sofrer esfarelamento, prejudicando a arcada dentária.

Com a falta de uma alimentação equilibrada, o corpo perde as referências e já não sabe mais de que se alimentar. É então que começa a utilizar as proteínas e a diminuir a massa magra, ou seja, os músculos. As coxas, os braços e a barriga começarão a dar sinais de flacidez e a coluna sofrerá alterações graves, já que a musculatura que a sustenta é a primeira a perder proteínas.

Quantas pessoas você conhece que entraram em dietas radicais e mantiveram o peso desejado? O corpo vai exigir uma alimentação mais energética e aumentar sua fome até que você busque alimentos com açúcares e gorduras, ganhando mais peso do que tinha antes da dieta.

Por isso, quando o assunto é emagrecimento, não há outra fórmula: alimentação equilibrada, exercícios físicos regulares e acompanhamento nutricional. Emagreça devagar para perder peso com saúde.

Teve uma boa experiência com dietas? Deixe seu relato nos comentários!

TAGS
dietas radicais
emagrecer
perder peso

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ