Dietas

11/07/2014 06:30 - Atualizado em 30/11/2016 07:43

Dieta macrobiótica vai além do emagrecimento e combate doenças

Dieta macrobiótica não permite carne, café e qualquer alimento industrializado.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A dieta macrobiótica não favorece apenas a perda de peso. A ideia é seguir um cardápio composto exclusivamente por comidas naturais, sem nenhum processamento. Os adeptos garantem que o método previne doenças e eleva (muito) a qualidade de vida. 

O que é a dieta macrobiótica

A filosofia oriental seguidamente é revisitada no Ocidente em vários aspectos da nossa vida, até mesmo na alimentação. A dieta macrobiótica é um método que tem origem na filosofia chinesa do Yin e Yang, cujos princípios são a harmonia com a natureza e o equilíbrio.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

As duas palavras que formam o nome do conceito representam lados opostos, que devem estar igualmente representados para que isso resulte em uma vida balanceada. O Yin, no caso da dieta macrobiótica, é o doce, frio e passivo, enquanto o Yang é o salgado, quente e agressivo. Para um organismo saudável, portanto, os dois precisam estar em equilíbrio.

A dieta macrobiótica propõe a alimentação apenas com comidas naturais, sem nenhum processamento. A preferência deve ser sempre por comidas cultivadas localmente, plantadas e preparadas de maneira tradicional. Quem a concebeu foi o japonês George Ohsawa.

O termo macrobiótica advém do grego, no qual "macro" quer dizer "grande", e "bio, "vida". Isso quer dizer que temos que observar a nossa vida de maneira holística e entender que a nossa alimentação está amplamente relacionada com nossa saúde e maneira de ver o mundo.

Vantagens da dieta macrobiótica

A grande vantagem da dieta macrobiótica é o grande consumo de alimentos como frutas, legumes e verduras, ricos em fibras, que contribuem para um bom funcionamento do intestino, e vitaminas, que previnem a ocorrência de uma série de doenças. A dieta propõe a cura de enfermidades físicas – isso não quer dizer que a pessoa deva parar de buscar um acompanhamento médico profissional.

Outra vantagem é o corte na ingestão de refrigerantes, bebidas alcoólicas, frituras e outros tipos de alimentos que podem ser muito prejudiciais à saúde. O resultado é a diminuição da flacidez (devido às fibras), aceleração do metabolismo e eliminação das toxinas presentes no organismo.

Desvantagens

Mas se você pensa em adotar a dieta macrobiótica, precisa saber que também há desvantagens e cuidados a serem tomados. Ela possui um consumo elevado de carboidratos e cereais. Portanto, não é a dieta mais recomendada para uma perda de peso rápida. Além disso, ainda tem um consumo muito baixo de proteínas.

Devido ao seu alto grau de complexidade, exige uma dedicação muito grande, além de mudanças drásticas nos seus hábitos alimentares. Por isso, é uma dieta difícil de adotar. Por outro lado, se você tiver bastante empenho, mesmo que não siga 100% à risca, adquirir o hábito de consumir alimentos naturais é muito saudável.

Outro cuidado é para quem tem o costume de realizar muitos exercícios físicos. Como a dieta é, segundo alguns especialistas, deficitária em relação às vitaminas D e B12, além dos minerais ferro, cálcio e de proteínas, não fornece a energia necessária para a prática de determinadas atividades. O ideal é sempre consultar um nutricionista e não adotar nenhuma prática muito radical.

Alimentos 

Entre os alimentos que você pode consumir sem receio na dieta macrobiótica, estão os vegetais, feijões, soja fermentada, sopa, peixes, nozes, grãos, sementes e frutas.

Já os alimentos proibidos são carnes de gado e de aves, alimentos lácteos, açúcar, café, chá cafeinado, álcool, chocolate, bebida estimulante, refrigerante, batata, alimentos com produtos químicos e conservantes, farinha refinada e pimenta muito picante.

E aí, gostou do texto ? Deixe seu comentário ou compartilhe sua experiência!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ