Dietas

14/03/2016 12:00 - Atualizado em 05/12/2016 08:28

Dieta Atkins restringe o consumo de carboidratos

Nas primeiras semanas, é permitido consumir apenas 20g de carboidratos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Também conhecida como dieta da proteína, a dieta Atkins, que leva o nome de seu criador, o cardiologista americano Robert Atkins, restringe todos os tipos de carboidratos em refeições que tenham alimentos de origem animal.

Não é fácil alcançar o peso adequado. Praticamente todos os dias, surge uma dieta nova, que restringe esse ou aquele alimento em nosso cardápio. Com esse plano alimentar, não é diferente.

A promessa de perder oito quilos em um mês seduz muitas pessoas, mas é necessário ter cuidado, pois essa restrição de alimentos induz o fígado a utilizar a gordura do corpo como fonte de energia. Porém, a maior perda é de massa muscular, o que não é saudável para o organismo. Veja como seguir a dieta Atkins corretamente.

prato da dieta atkins

Como a dieta Atkins é feita?

Nas primeiras duas semanas, a pessoa é liberada para ingerir apenas 20 gramas de carboidratos. Isso significa que não farão parte do cardápio arroz, massa, tubérculos e alimentos similares. Para ter noção do quanto essa quantia de carboidratos é pouca, ela pode ser atingida apenas com legumes e verduras, por exemplo.

Mas a dieta não é feita só de restrições. No café da manhã, podem-se consumir quantas porções forem necessárias de queijo, presunto e ovos. Uma xícara de leite ou de chá também pode fazer parte dessa refeição.

E quanto ao almoço e o jantar? Cheios de proteínas. Estarão no cardápio carnes, ovos, embutidos, bacon, peixe e verduras. Nas semanas seguintes, a quantidade de carboidratos sobe para 40 gramas.

Como se pode perceber, a dieta altera radicalmente os hábitos alimentares e por isso, ela é mais difícil de ser realizada. Ao terminar de fazê-la, é recomendado voltar a introduzir aos poucos os alimentos antes restritos, pois a ansiedade de consumi-los pode causar ganho de peso.

Dieta Atkins e o dilema das restrições

Para dar início à restrição alimentar, são necessários alguns cuidados, já que o carboidrato é responsável por produção de energia do corpo. Antes de começar qualquer dieta, é essencial procurar um nutricionista para uma avaliação clínica. Essa consulta ajuda a evitar problemas relacionados a deficiências alimentares, e também serve para avaliar qual é a melhor opção para o emagrecimento.

Alguns especialistas afirmam que a dieta Atkins pode causar problemas de concentração, pois o cérebro precisa de glicose para funcionar corretamente. Tontura, sono, alterações de humor e até mesmo desmaios estão entre as possíveis consequências ao se manter esse plano alimentar por um longo tempo.

Uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, mostrou que as mulheres, ao consumirem alta quantidade de proteína animal, tiveram uma perda óssea maior, quando comparadas a mulheres que consumiram proteína vegetal.

Outra pesquisa, publicada em 2011, no Jornal Americano de Obstetrícia e Ginecologia, relacionou o consumo de proteína animal à falta de ovulação de mulheres saudáveis.

E então, será que a dieta Atkins é adequada para o seu caso? Deixe sua opinião nos comentários! E aproveite para conferir outras dicas de nutrição aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
proteínas
dieta restritiva
emagrecer
massa magra

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ