Dietas

03/03/2015 10:37 - Atualizado em 08/12/2016 06:54

Compare vantagens e desvantagens do método Ravenna

Restritivo, o método Ravenna reduz calorias e garante 10% a menos de peso já no primeiro mês.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Baseado em três pilares de emagrecimento (corte, medida e distância), o método Ravenna é uma dieta considerada linha-dura para combater a obesidade. Criado pelo psicanalista argentino Máximo Ravenna, o método é uma combinação de acompanhamentos nutricional, psicológico e físico que funcionam em um centro terapêutico.

O pilar de corte faz referência a cortar o excesso alimentar, a compulsão e as refeições diárias. A medida se relaciona com a quantidade das porções que serão ingeridas e com a redução dos centímetros no corpo. Já a distância significa afastar-se da comida para eliminar a vontade de comer.

metodo ravenna

Método Ravenna elimina carboidratos simples

Incluindo todos os grupos alimentares no cardápio, o método Ravenna é repleto de restrições. Elas são referentes principalmente à ingestão de carboidratos simples, ou farinha e açúcar refinado, que podem ser encontrados em pães, bolos e massas.

A dieta não permite o consumo desses alimentos, pois eles são convertidos em energia rapidamente, produzem insulina demais e deixam a pessoa com fome muito cedo.

Segundo nutricionistas, esses alimentos não agregam nutrientes e podem ser excluídos sem prejuízos, sendo substituídos por carboidratos complexos ricos em fibras. Esses, por sua vez, saciam e melhoram o funcionamento do intestino. São os grãos integrais, as frutas, os cereais e as verduras.

Em apenas um mês seguindo o método Ravenna, já é possível eliminar de 7% a 10% do peso, no caso dos homens, e 5% a 7% do peso, no caso das mulheres. No entanto, a perda varia conforme o organismo da pessoa.

O período de duração da dieta depende de quantos quilos é preciso perder. Na primeira etapa do método, ocorre a redução das medidas. Na segunda, a manutenção.

Suplementos alimentares fazem parte do método Ravenna

A média de ingestão de calorias para quem adere à dieta é de 800kcal ao dia. Com o baixo consumo de energia, o metabolismo é alterado, queimando gordura em vez de glicose. No entanto, há o risco de o corpo começar a produzir corpos cetônicos, que podem prejudicar as células quando se formam em grande quantidade.

Médicos aplicadores do método garantem que a inversão de glicose por gordura não afeta essa produção, que é baixa e não causa danos ao organismo.

Como dietas hipocalóricas (com menos de 1 mil calorias diárias) não são consideradas saudáveis pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o método Ravenna precisa de suplementação. A restrição de calorias faz com que a pessoa não atinja os níveis recomendáveis de vitaminas e minerais, então o cardápio inclui suplementos alimentares.

Ao todo, são feitas apenas quatro refeições ao dia, no método Ravenna. Elas são divididas em café da manhã, almoço, café da tarde e jantar. Sem seguir o princípio da alimentação a cada três horas, a dieta evita que haja exageros. As refeições precisam seguir um ritual rígido, com ordem para cada comida que será ingerida.

Além disso, é necessário participar de grupos terapêuticos coordenados por um psicólogo especializado em transtornos alimentares. Praticar exercícios físicos para redução de medidas e fortalecimento dos músculos também é recomendado.

Gostou das dicas de alimentação? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
dieta restritiva
carboidratos
Ravenna
emagrecer

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ