Dietas

24/08/2015 04:16 - Atualizado em 22/11/2016 06:54

Aspartame: Nutricionista esclarece mitos e verdades

Faça uso consciente desse e de outros adoçantes na sua alimentação.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O aspartame foi criado em 1965 para substituir o açúcar comum. Ele tem o poder de adoçar 200 vezes mais que a sacarose e é menos denso. Hoje mais de 200 milhões de pessoas consomem este adoçante e está presente em mais de 6.000 produtos.

De um tempo para cá, começaram a sair alguns estudos divulgados pela mídia que ressaltavam o aumento do risco que este adoçante poderia causar. Esclarece este assunto a nutricionista Maristela Strufaldi, especialista em nutrição clínica, educadora em diabetes:

1. Existe algum estudo sobre os efeitos do aspartame para a saúde?

Existem vários estudos na literatura científica, que comprovam a segurança do uso dos adoçantes para pacientes com diabetes, inclusive o do aspartame, desde que recomendados pelo médico ou nutricionista e utilizados na quantidade adequada para consumo diário.

2. Alguns dizem que o uso as Aspartame causa câncer, outros que não há nada comprovado. O uso contínuo é liberado pela Anvisa. Em que podemos acreditar?

Desde a aprovação do uso do aspartame até hoje, este foi sujeito a inúmeros questionamentos quanto a sua segurança para uso alimentar. Em 20 anos, mais de 200 estudos foram realizados em animais e seres humanos e nenhuma conclusão confirmou quaisquer malefícios do produto para humanos. Além disso, existe uma quantidade/dia (determinada por kg de peso do indivíduo) sugerida pela literatura, garantindo segurança no consumo. Essa quantidade é de 40mg/dia/kg, determinada pela FDA (Food and Drug Administration), o que representa para um adulto cerca de 15 pacotinhos de aspartame /dia ou de 60 – 80 gotas / dia.  

Saiba Mais
Gelado de morango é dica de sobremesa para diabéticos
Aliada dos diabéticos: Conheça os benefícios da batata yacon

3. Como o aspartame age no organismo?

Durante sua ingestão, o aspartame – que é um produto sintético- rapidamente separa-se no intestino em seus três constituintes originais: fenilalanina, ácido aspártico e metanol. Os três elementos são processados pelo organismo da mesma forma como se fossem provenientes de alimentos naturais. Logo, quando são absorvidos, não apresentam quaisquer efeitos tóxicos de qualquer natureza, quando utilizados dentro das doses recomendadas.

4. Há alguma dica especial para o consumo de adoçantes por parte das pessoas com diabetes?

Todos os adoçantes do mercado podem ser utilizados. Uma sugestão prática é adotar o rodízio na rotina alimentar. Utilizar aspartame em um mês, sucralose em outro, ciclamato posteriormente. Dessa forma, é possível prevenir excessos.

Confira também as dicas da ADJ Diabetes Brasil. Vivo Mais Saudável é informação que faz bem!

TAGS
aspartame faz bem
aspartame faz mal
adoçante diabéticos
dicas alimentação diabéticos
dicas nutrição
nutricionista diabéticos

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ