Dietas

09/06/2014 09:00 - Atualizado em 02/12/2016 02:36

Alimentação não é obsessão! E alimento também é sentimento

por Cintia Vidal, Bárbara Ribeiro e Kelly Ferreira do Bom Brasileiro

POR

Bom Brasileiro

  • +A
  • -A

Seja pelo medo de desenvolver doenças ou pela busca de um corpo perfeito, é muito comum encontrarmos hoje em dia pessoas que tornaram o simples hábito de alimentar-se em uma obsessão. O alimento vem sendo substituído por cápsulas, suplementos e nutrientes isolados que prometem resultados mais eficazes para atingir as recomendações diárias do que o organismo precisa. Deixando, muitas em vezes, em segundo plano a ingestão de alimentos. Não há condenação a prática nenhuma, desde que feita com a supervisão de um profissional confiável.

Ao pé da letra, ou melhor, do verbo, ‘Alimentar’ significa dar alimento, nutrir, sustentar. Mas, em um contexto social, o ato denota também sociabilidade, prazer e cultura. Há quem ainda coma arroz, feijão e carne. E quem coma carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais, etc. Para quem está no segundo grupo, o enfoque é o nutriente, não o alimento.

Ok! Esta tendência não é de toda errada. O que necessitamos do alimento vem, sim, dos nutrientes. Entretanto, o que podemos obter é bem mais que isso: é prazer em degustar um alimento saboroso, é o momento de convívio social (por exemplo, quando uma família se reúne para o almoço de domingo), é o afeto em cozinhar para alguém que se ama ou provar algo que nos remete à infância. O alimento é veículo de nutrientes e também de sentimentos.

Então como obter todos esses benefícios? Fazendo boas escolhas e encarando a alimentação com mais naturalidade. Devemos comer de tudo, tudo mesmo! Incluindo chocolate e pizza (por que não?). A palavra de ordem aqui é MODERAÇÃO. Não é porque você gosta de chocolate que vai deixar de almoçar para devorar uma barra, mas uma pequena porção depois do almoço de vez em quando não mata ninguém. Comer frutas, verduras, legumes, grãos, lácteos e outros, deve fazer parte da nossa rotina alimentar. Buscar maneiras de preparo mais gostosas e saudáveis e conhecer novos alimentos são ótimas táticas para auxiliar na adesão desse estilo de alimentação consciente e sem obsessão.

A pizza, por exemplo, pode ser feita em casa. A massa caseira fica uma delícia (varie as farinhas com a ajuda da nossa última postagem) e o recheio pode ganhar diversas versões.

Vamos viver mais leves e felizes! Comer é uma delícia e precisamos entender isso. Existe uma diversidade enorme de alimentos e preparações saudáveis esperando por você, não se prive de provar.

Para praticar o bom apetite, aqui vai uma receita de pizza caseira.

=)

 

 

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ