Alimentação Infantil

09/07/2014 05:00 - Atualizado em 02/12/2016 08:10

Plástico da mamadeira pode oferecer riscos à saúde do bebê

Há casos de plástico da mamadeira com substância potencialmente cancerígena.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma preocupação constante dos pais gira em torno da alimentação de seus filhos, com atenção especial para os pequenos. E neste quesito, um item possui participação fundamental: a mamadeira. Mas um aspecto desse utensílio exige cuidado: o plástico da mamadeira pode oferecer riscos à saúde dos bebês. Entenda por quê e descubra agora como evitar qualquer problema com uma das primeiras aliadas da nutrição infantil.

Atenção especial ao plástico da mamadeira

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Desde setembro de 2011, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proíbe a fabricação de mamadeiras com bisfenol A (BPA) no Brasil. Presente no policarbonato, essa substância é utilizada na produção de mamadeiras de plástico. Essa proibição acompanha regras já praticadas em outros países, como Canadá e nações da União Europeia.

De acordo com a Anvisa, a decisão se baseou em pesquisas recentes que apontaram riscos referentes à exposição ao BPA, mesmo quando essa exposição se dá em níveis inferiores aos que atualmente são considerados seguros. Embora não haja resultados conclusivos sobre esses riscos, a medida atende ao princípio da precaução e tem o intuito de proteger as crianças de 0 a 12 meses.

Um dos motivos levados em consideração nessa decisão foi que crianças entre 0 e 12 meses não possuem um sistema de eliminação do bisfenol A tão desenvolvido quanto adultos. 

Segundo estudos, o bisfenol A tem potencial cancerígeno, em especial o câncer de próstata. Especificamente para as mulheres, a alteração genética provocada pelo BPA pode acarretar câncer de mama e infertilidade. O material que pode substituir o policarbonato nesse tipo de utensílio é o polipropileno.

Ao se aquecer ou se congelar o plástico, impulsiona-se o desprendimento do BPA, uma molécula instável a qual pode afetar o desenvolvimento dos órgãos sexuais, em especial da próstata e da mama, além de levar à puberdade precoce.

Cuidados com o plástico da mamadeira

Diante das preocupações com o BPA, é preciso dar atenção para diversos aspectos relacionados ao plástico da mamadeira:

- Mamadeiras que contêm esta substância não podem ser fervidas. Se você ainda não trocou por uma mamadeira sem o BPA, você tem a opção de lavá-la com detergente suave ou de coco e depois deixá-la no cloro por alguns minutos antes de enxaguar com água corrente. 

- Assim que possível, adquira apenas acessórios de plástico livres de bisfenol A.

- Mamadeiras de vidro podem ser práticas nessa hora, porque são fáceis de lavar e, ao contrário das plásticas, pdoem ser fervidas.

- Lembre-se de que o ideal é dar o leite na temperatura ambiente e que ele deve ser colocado na garrafa de pástico apenas na hora em que o bebê vai tomar. 

- Quer identificar se o plástico da mamadeira possui bisfenol A em sua composição? Procure um número na embalagem, que normalmente fica gravado ao fundo. Acarretam maior risco de liberar a substância após aquecimento os plásticos de números 3 e 7. Por outro lado, os de número 5 não apresentam riscos. Há ainda produtos com o alerta "livre de BPA", ou seja, ali não há bisfenol A.

Qual foi a forma que você escolheu para amamentar e dar leite ao seu filho? Quais outros cuidados você acha que as mamães devem ter? Conte-nos um pouco.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ