Alimentação Infantil

18/08/2014 09:09 - Atualizado em 01/12/2016 07:14

Nutrientes para a fase escolar, veja como garantir um cardápio saudável

O consumo de alimentos naturais ricos em ferro, cálcio, fibras, vitaminas e minerais deve ser incentivado pelos pais.

POR

Redação

  • +A
  • -A

1. Em crianças de 7 a 10 anos, período de crescimento, quais são as necessidades nutricionais mais importantes?

Esta fase também é chamada de fase escolar. A velocidade de crescimento não é tão alta como na primeira infância e o organismo está se preparando para a adolescência onde ocorre o estirão de crescimento. Prevenir os excessos é fundamental, já que a criança tem maior independência passando  mais tempo longe de casa  e sendo cada vez mais responsável pelos alimentos que come ao longo do dia. É importante também manter várias refeições ao longo do dia nos intervalos entre uma atividade e outra. O café da manhã é uma refeição que não deve ser pulada, pois é uma ótima oportunidade para ingerir o cálcio presente no leite ou seus derivados como iogurtes e queijos. Nutrientes como fibras, vitaminas e minerais presentes nas frutas e nos vegetais devem ser incentivados diariamente tanto nos lanches como no almoço e jantar.  

2. O que incluir no cardápio para garantir os nutrientes importantes para esta faixa etária?

Para garantir as vitaminas e minerais que as crianças precisam pense em tudo que é naturalmente colorido. Começando pelas frutas como maçã, kiwi, amora, morango, melancia, melão, cada uma tem um benefício que a ciência descobre a cada dia. Não existe a fruta perfeita ou a salada ideal e sim a variedade. Quanto mais colorida, mais misturada essas cores mais nutrientes a criança está comendo. Infelizmente. há poucas variedades de frutas em casa ficando sempre a banana maçã ou pêra. Por que não investir na melancia, no melão, caqui, abacaxi, pêssego, nas uvas, etc.??

Além destes coloridos, o arroz e o feijão do dia a dia não podem faltar! Esta dupla deve ser defendida sempre na alimentação dos pequenos porque, além da energia, oferece o conjunto de proteínas perfeitos para o crescimento. Combinado com algum tipo de carne ou ovo e dois vegetais coloridos. Ótimo, está completo!

Para garantir um esqueleto forte e saudável sem doenças como a osteoporose na vida adulta,  os derivados do leite não devem ser esquecidos. Nesta faixa etária, é muito comum as crianças abandonarem o hábito de tomar iogurte ou leite, mas a necessidade ainda continua então nada de deixar pra lá. Incentive as crianças oferendo um iogurte ou leite no café da manhã e lanche da tarde diariamente.

 

3. A partir dos 10 anos, há mudanças estruturais do corpo, maturação sexual e pressões emocionais sociais. É preciso priorizar quais tipos de alimentos e quais são os benefícios?

A partir dos 10 anos, a criança entra na fase da adolescência. Há várias transformações corporais, emocionais e sociais. Elas passam mais tempo fora de casa e podem ser as responsáveis por fazer o próprio lanche ou comprá-lo. Envolver o adolescente na escolha do próprio lanche é criar um bom momento para incentivar escolhas mais saudáveis. 

Durante a adolescência, ocorre o pico na formação da principal parte dos ossos que é a matriz. Isso faz com que a necessidade de cálcio aumente.  Três porções de 200ml de iogurtes ou de leite por dia podem garantir a demanda desta fase.

 

4. Em quais casos a suplementação de vitaminas, cálcio e/ou ferro é necessária? 

A suplementação medicamentosa de vitaminas e minerais, como cálcio, ferro, deve ser realizada somente após um levantamento detalhado da história alimentar e deve ser realizada somente por um médico ou por um nutricionista que é capaz de avaliar a real necessidade desta suplementação, inclusive a quantidade. Uma alimentação equilibrada, colorida e variada já é capaz de fornecer todos os nutrientes que a criança e o adolescente necessitam para crescer e se desenvolver.

 

TAGS
alimentação infantil
fase escolar
nutrientes crianças
nutrientes adolescência
cardápio infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ