Alimentação Infantil

04/08/2014 09:00 - Atualizado em 08/12/2016 02:51

Mãe de leite pode salvar a vida de bebês recém-nascidos

Mãe de leite é tema de campanha do Ministério da Saúde.

POR

Redação

  • +A
  • -A

É maior do que se imagina o número de bebê salvos diariamente pela doação de leite materno de desconhecidas. Em situações em que a mãe biológica faleceu, está impossibilitada de amamentar ou entregou a criança para doação, surge a mãe de leite. Esse nome se refere a uma mulher que possui uma produção láctea excedente e se dispõe a compartilhar parte com quem necessita.

O papel da mãe de leite

A função da mãe de leite surgiu ainda na época da escravidão. Mulheres escravas que já tinham filhos amamentavam, além de suas crianças, os filhos dos senhores. Hoje esta ação é feita por milhares de mulheres ao redor do mundo, de forma presencial, quando a amamentação é feita diretamente nos seios da mulher, ou através da doação para bancos de leite espalhados por milhares de cidades.

mãe de leite
Mães de leite cumprem papel essencial na nutrição infantil do Brasil. Foto: Unicef

Como o leite materno é fundamental para criar nas crianças anticorpos que as protegerão de doenças e infecções por toda a vida, a amamentação é essencial no desenvolvimento infantil. Crianças que nascem prematuras ou ficam em incubadoras por um espaço de tempo estendido, não podem mamar da forma tradicional, e precisam se alimentar através de tubos, preenchidos com leite doado.

Mãe de leite pode salvar vidas

As chances de um bebê que está internado em uma UTI neonatal sobreviver se relaciona diretamente com o recebimento desse leite doado. O período de ação de uma mãe de leite é de aproximadamente três meses. Isso significa que até três crianças podem ser salvas através das doações de uma pessoa.

As mulheres que receberam leite doado quando crianças constituem grande parte do número de doadoras atuais dos bancos de leite. A ação é tão importante para a proteção das crianças e para um crescimento saudável, que a maior parte delas resolve retribuir a ajuda, salvando a vida de mais bebês.

Amamentação falha

Uma pesquisa realizada pelo Governo Federal apontou que a maior parte do Brasil possui amamentação falha. Apenas quatro cidades brasileiras superam os 50% no índice de mães que mantêm a amamentação exclusiva até os seis meses de idade. Para esse número preocupante, colaboram a falta de leite e o leite fraco.

Então, para incentivar a doação de leite, o Ministério da Saúde lançou uma campanha, intitulada “Quando você doa leite materno, doa vida para o bebê e força para a mãe”, visando a aumentar em 15% o número de doadoras. Os estoques cobrem apenas 60% da demanda, o que prejudica a saúde de muitas crianças. Os bancos de leite são tão importantes para os hospitais quanto os bancos de sangue. 

Mãe de leiteGoverno Federal pretende aumentar estoque de leite com campanha. Foto: Shutterstock

Referência internacional

O sistema utilizado na rede de Bancos de Leite brasileira já foi exportado para 23 países e é referência internacional. A coleta é feita à domicílio, proporcionando privacidade e comodidade para a mãe de leite. Entre 2012 e 2013, o número de doadoras subiu 27%, mas tornou a diminuir no último ano. 

Qualquer mulher que amamente e produza uma quantidade de leite que excede a necessidade de seus filhos e não utilize medicamentos que impeçam a doação pode ser uma mãe de leite. Basta procurar o banco de leite mais próximo através do site da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano

Leia também:

É preciso se preparar para amamentar?

Pediatra responde dúvidas sobre amamentação

Saiba como criar sua almofada de amamentação

Mamar deitado pode causar dor no ouvido do bebê

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ