Alimentação Infantil

19/04/2015 01:16 - Atualizado em 05/12/2016 08:51

Guloseimas são um perigo, mas não precisam ser cortadas do cardápio

Na medida certa, o doce pode contribuir para o desenvolvimento saudável das crianças.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Biscoitos recheados, brigadeiro, beijinho, bala de goma, marshmallow... Tudo é considerado uma delícia pelas crianças. Mas as guloseimas podem ser perigosas, principalmente se consumidas em excesso. Açúcar demais faz mal porque é o principal causador do diabetes e, junto com as frituras, pode levar à obesidade.

No entanto, não é preciso eliminar a gulodice do cardápio infantil. Administrados corretamente, os doces dão energia, fazem bem para o cérebro, previnem dores de cabeça e lubrificam melhor os olhos, com o bônus de fazer a alegria da criançada. Quer saber como permitir as guloseimas na medida certa? Confira.

guloseimas

Por que as guloseimas fazem mal?

São dois os principais componentes que fazem das guloseimas as vilãs da alimentação infantil: açúcar e gordura. O excesso deles leva à obesidade e causa uma série de doenças crônicas, que podem acompanhar a criança por toda a vida. Porém, um docinho não faz mal a ninguém, desde que seja com moderação.

Em uma pesquisa da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, cientistas analisaram os efeitos do açúcar em ratos. Um grupo de roedores ingeriu a quantidade equivalente a três latas de refrigerante por dia, enquanto outro manteve uma dieta saudável. A taxa de mortalidade das fêmeas que consumiam açúcar era duas vezes maior que o comum.

O resultado da pesquisa mostra os riscos do excesso de doce no organismo. O recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é que sejam ingeridas, por dia, cinco colheres de sopa de açúcar ao dia.

Ou seja, dentro dessa margem, as guloseimas não fazem mal e podem até mesmo beneficiar o organismo, já que o doce também é essencial para manter o corpo funcionando.

O açúcar é responsável por produzir glicose, uma substância que facilita que bactérias boas se proliferem no organismo e ajudem no processo de digestão. Além disso, é fonte de cloro, magnésio, cálcio, fósforo e potássio.

Controlar a alimentação das crianças é fundamental, pois grande parte do açúcar está escondida em refrigerantes e guloseimas. Sendo assim, é responsabilidade dos pais cuidar do que os filhos comem e liberar ou restringir aquela sobremesa depois do almoço e o lanchinho industrializado da tarde.

guloseimas

Guloseimas sem culpa

Para que as crianças desfrutem de doces e gulodices sem pesar na consciência, você pode fazer um cardápio equilibrado, contendo tudo o que elas precisam no dia. Para essa tarefa, talvez seja preciso consultar um nutricionista. O importante é saber dosar legumes, vegetais e frutas com os alimentos ricos em proteínas e carboidratos.

Prefira dar às crianças lanches mais naturais, como, por exemplo, pipoca e geleias. O chocolate também pode ser excelente, pois evita o acúmulo de gordura e contém cafeína e feniletilamina, duas substâncias antidepressivas.

O amendoim também pode fazer a alegria dos pequenos. Experimente misturá-lo a algum tipo de geleia, como a de morango. O grão é rico em ômega 6 e tem ação anti-inflamatória e vitamina E, um ótimo antioxidante.

Bolos feitos com frutas, como o de maçã com canela, contêm fibras e facilitam o funcionamento intestinal. A ação da canela é termogênica, o que também deixa o metabolismo acelerado. Lembre-se de fazer com farinha integral e usar açúcar mascavo para garantir um resultado mais saudável.

Você permite que seus filhos comam guloseimas? Conte nos comentários! E aproveite para conferir nosso especial Você Mais Saudável - Alimentação. Você já sabe: sempre tem novidade aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
doces
alimentação saudável
desenvolvimento infantil
açúcar

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ