Alimentação Infantil

28/01/2016 11:00 - Atualizado em 01/12/2016 12:37

Existem 4 tipos de leite materno: Aprenda a diferença

A amamentação é fonte de nutrientes importantes para o desenvolvimento do bebê.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Que a amamentação fornece todos os nutrientes necessários para o bebê até os seis meses de idade, você provavelmente já ouviu falar. Mas sabia que existem diferentes tipos de leite materno? Pois é. A composição pode variar de acordo com a idade da criança, o período do dia e a alimentação da mãe. 

Esse alimento natural é responsável por nutrir a criança com proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água. De acordo com a nutricionista Adriana Pittelkow, ele contém elementos que o leite em pó não consegue incorporar, sendo perfeito para os recém-nascidos. “O leite materno protege o bebê de certas doenças e infecções”, acrescenta Adriana.

tipos de leite materno - bebê mamando

Conheça os 4 tipos de leite materno

Os nutrientes do leite materno são essenciais para o desenvolvimento infantil. Por isso, a mãe deve deixar o pequeno sugar o peito até esvaziá-lo, garantindo que todos os quatro tipos do alimento sejam aproveitados pela criança. Entenda a diferença a seguir:

Colostro

É o líquido mais espesso e amarelado que surge antes do parto e continua sendo produzido até por volta de sete dias após o nascimento da criança. Ele contém anticorpos que são aliados na proteção do recém-nascido. “É abundante em vitaminas e fatores de maturação que ajudam no desenvolvimento intestinal do bebê”, explica a nutricionista.

Os outros três tipos de leite materno são provenientes da transformação do colostro. Esse amadurecimento costuma acontecer aproximadamente 15 dias após o parto.

Leite materno anterior

É produzido e liberado no momento em que o bebê inicia a mamada. É fluído, já que contém altos níveis de água. Também é rico em lactose. “Esse leite sozinho não consegue saciar a fome do bebê, pois tem pouca proteína e pouca gordura”, explica Adriana.

Leite materno intermediário

É a transição entre o leite anterior e o posterior. Contém muita proteína.

Leite materno posterior

Surge apenas ao final de cada mamada. É rico em gordura e em proteína. Sem ele, o bebê não fica saciado e não ganha peso. “A privação do leite materno posterior pode dificultar o desenvolvimento e causar até mesmo desconfortos e problemas de saúde”, alerta a nutricionista.

Saiba Mais
Leite materno congelado: Entenda como armazenar
Alimentação na amamentação pode influenciar o paladar do bebê
Doação de leite materno contribui para a qualidade de vida dos bebês

Benefícios do leite materno

Segundo Adriana, amamentar estabelece uma ligação emocional muito forte e precoce entre a mãe e o bebê. “Atualmente, sabe-se que um vínculo afetivo sólido facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com as outras pessoas”, lembra a profissional.

A amamentação ajuda a prevenir doenças como otites, alergias, vômitos, diarreia, pneumonia, bronquiolites e meningites, além de melhorar o desenvolvimento mental e auxiliar na formação da boca e do alinhamento dos dentes dos pequenos.

As mamães também são beneficiadas pelo contato direto com seus filhos. A mulher que amamenta se sente mais segura e menos ansiosa. O ato ajuda na queima de calorias, facilitando o processo de emagrecimento pós-gravidez, e também estimula o útero a regressar ao seu tamanho normal mais rapidamente, protegendo o corpo de osteoporose. anemia e até câncer.

O Ministério da Saúde recomenda a amamentação exclusiva até o sexto mês de vida da criança e que ela permaneça mamando até os 2 anos, enquanto recebe a alimentação complementar.

Gostou de aprender sobre os diferentes tipos de leite materno? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
amamentação
recém-nascido
composição do leite materno
nutrição infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ