Alimentação Infantil

20/09/2015 03:05 - Atualizado em 08/10/2016 08:38

Dieta infantil está longe do ideal, segundo IBGE

Mais de 60% das crianças brasileiras comem biscoitos e bolos diariamente.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Mais de 60% das crianças brasileiras com menos de dois anos de idade têm em seu cardápio diário biscoitos, bolachas ou bolos. Os dados sobre a dieta infantil são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a Pesquisa Nacional de Saúde 2013 (PNS 2013). É um índice preocupante, especialmente se pensarmos no futuro dos pequenos.

A alimentação das crianças é sempre um fator preocupante, ainda mais quando os dados do IBGE demonstram que a dieta infantil é constituída basicamente de produtos ultraprocessados, ou seja, que concentram alta quantidade de gorduras e açúcares.

“Isso demonstra o crescimento contínuo dos casos de sobrepeso e obesidade infantil refletindo ativamente no sistema público de saúde”, diz a nutricionista Jureci Siqueira Machado.

crianças na escola com dieta infantil saudável

As influências na dieta infantil

Segundo ela, com a introdução da mulher no mercado de trabalho, a alimentação da família passou cada vez para as formas industrializadas. Como as crianças passam mais tempo com outros membros da família, assim como amigos e colegas de escola, acabam por também sofrer essas influências nos hábitos alimentares.

E é aí que reside um dos segredos, segundo a nutricionista. A formação do paladar da criança começa com os hábitos da família. O pequeno tende a imitar o costume dos pais ou daqueles com quem convive mais ativamente.

De acordo com Jureci, a formação dos hábitos alimentares ocorre aos 2 anos de idade. “Tudo o que for imposto nesse período certamente favorecerá para perpetuar no futuro”, afirma.

Por isso, quando se trata de dieta infantil, preconiza-se o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade. Depois, inicia-se a introdução da alimentação complementar com papinhas de frutas, papas salgadas de legumes e caldo de feijão, por exemplo, respeitando sempre cada período de adaptação da criança.

Segundo a nutricionista, ainda é difícil para muitos pais impor e praticar uma alimentação saudável ao preparar as refeições dos seus filhos. “Nos dias de hoje, a praticidade tem falado mais alto que a saúde, por isso os pais tendem a ofertar alimentos mais práticos para o consumo. Assim, a opção por 'produtos de prateleira' tem se tornado parte da lista de compras das famílias”, comenta.

Ela ressalta que o hábito alimentar das famílias mudou ao longo dos anos. O fato de haver famílias que realizam refeições em horários distintos - ou seja, quando cada membro da casa realiza um tipo de refeição em horários diferentes - faz com que se perca a cultura em relação à alimentação familiar.

Saiba Mais
Veja por que você deve estimular a refeição em família
Leite materno congelado: Entenda como armazenar
Paladar infantil evolui conforme a criança cresce

O que atrapalha a dieta infantil

Outro fator de relevância na forma errada de conduzir a dieta infantil, conforme Jureci, é o acesso que as pessoas têm a determinados alimentos que há 15 anos não tinham, e que se tornam cada vez frequente na mesa do brasileiro.

É importante fazer com que a criança “coma direito” desde cedo. A introdução de hábitos corretos na adolescência ou na fase adulta certamente será mais difícil. A questão é que, com isso, podem vir outros problemas de saúde de forma associada.

Nesses casos, deve-se introduzir a prática da reeducação alimentar, aliada a exercícios físicos. “Muitas vezes, pode-se recorrer a oficinas de gastronomia saudável para crianças. É uma prática capaz de minimizar os riscos e melhorar a conduta nutricional”, sugere a nutricionista.

Como você faz para estimular uma alimentação balanceada em casa? Deixe seu comentário e ajude outros leitores do Vivo Mais Saudável!

TAGS
nutrição
cardápio saudável
alimentos processados
obesidade infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ