Alimentação Infantil

28/06/2015 11:23 - Atualizado em 30/11/2016 04:16

DHA: Suplemento alimentar ajuda no desenvolvimento cognitivo

Entre os benefícios do ácido graxo DHA, está a melhora na concentração e aprendizagem.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Os primeiros anos de vida de uma criança são marcados pelo início da fala, dos questionamentos e da interação com as pessoas e o mundo. Além disso, os pequenos necessitam da nutrição encontrada no DHA (ácido docosa-hexaenoico) para melhor desenvolver a sua concentração, memória e aprendizagem.

O DHA é um ácido graxo do tipo ômega 3 que traz benefícios para a saúde de adultos e crianças no que diz respeito ao desenvolvimento cerebral e na prevenção do declínio cognitivo na fase senil. Conheça mais razões para apostar no nutriente e veja onde pode ser encontrado.

DHA

Atuação do DHA no organismo das criança

A Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) lançou em 2014, durante o XVIII Congresso Brasileiro de Nutrologia, um consenso que padronizou as recomendações em relação ao consumo e à suplementação de DHA durante a gestação, lactação e infância.

O uso do nutriente é apontado como essencial na formação de todas as membranas celulares do sistema nervoso central do feto, o que auxilia a prolongar gestações de alto risco, aumentar o peso do recém-nascido, comprimento e circunferência da cabeça ao nascer.

Além disso, o DHA foi considerado como responsável por cuidar da coordenação de mãos, olhos, atenção, resolução de problemas e processamento de informações da criança ao longo da vida.

Encontre o nutriente nos alimentos

O DHA pode ser encontrado naturalmente com o consumo de peixes de águas profundas e geladas, como o salmão, o atum e a sardinha. Ele também está presente no leite materno, na gema de ovo e em algumas sementes, como a linhaça.

Esse ácido graxo também é manipulado e inserido em cápsulas de suplementação. O consenso da Abran recomenda uma quantidade de 200 miligramas por dia para adultos, independentemente da fonte usada.

DHA

Quando a suplementação é indicada?

Por muitos meses e até mesmo anos, o leite materno é o único alimento que a criança recebe. Exatamente por essa razão é que a suplementação de DHA da mãe é importante para que o nutriente seja passado para a criança.

Para bebês com menos de seis meses de vida e que não recebem o aleitamento materno, é recomendado que as fórmulas infantis contenham de 0,2 a 0,5% de DHA em sua composição. Segundo a Abran, dos seis meses aos 5 anos da criança. são necessárias de 70 a 150 miligramas de DHA por dia.

Cápsulas de ômega 3 desenvolvidas especialmente para gestantes são registradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e podem ser consumidas caso seu médico as indique. As cápsulas de DHA devem ter, no mínimo, 100 miligramas do componente por grama.

Cuidados na ingestão de DHA

Apesar de o DHA ser uma fonte natural, também há preocupação com o uso dos peixes no consumo, uma vez que existem riscos de contaminação pela presença de metais pesados na água. Também há a possibilidade de animais que foram criados em cativeiro apresentarem baixo teor de DHA.

Tenha cuidado ainda com as cápsulas e, antes de consumir qualquer tipo de suplementação, consulte seu médico. Ele poderá orientar quanto à forma mais adequada para incluir o DHA na sua alimentação e nas refeições do seu bebê.

Gostou de conhecer mais sobre esse nutriente? Deixe um comentário! E fique por dentro das novidades que encontra no Vivo Mais Saudável.

TAGS
crianças
alimentação
nutrientes
aprendizagem

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ